segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Florescer

Demorei pra voltar a este canto. Saí do verão mais amazônico do país e aterrissei neste demorado inverno paulistano, que não quer ceder à primavera. Tenho aguentado bem. Café expresso e cachecol. Mas meu coração tá em choque térmico. Tá pulsando cansado, nostálgico, sem entender direito esse vai-e-vem de emoções. O jeito é viver todos os invernos de uma só vez. Vou tomar chá, emprestar a alegria dos sorrisos das crianças e a melancolia de canções antigas. Vou vestir meias grossas e luvas, se for preciso. E seguir em frente. Vou abraçar todas as ausências que quiserem me fazer companhia. Vou visitar de novo as paisagens daquele deserto tão familiar. O deserto é refúgio, às vezes. Mas agora eu sei que o inverno vai passar. O amor sempre floresce, quando plantado em nós. Rego meu imenso amor com lágrimas de saudade. E adubo com a certeza de que, no frio e no calor, vale à pena esperar pelas flores.

Um comentário:

Iara disse...

Lindo. Tomei a liberdade de te escrever algo. Lá no Blog, "Ausente..."
bjs