segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Bonne anne

Ano que começa estranho, atrapalhado, com perdas irrecuperáveis, já há muito anunciadas, porém só agora concretizadas; outras perdas que, na verdade, serão ganhos, e promessas de ventos desconhecidos. Eu preciso velejar!
Venha ano novo, venha ano bom.
Venha, tempo, traga seu peso, sua força.
Faça com que eu me lembre sempre de ser eu, e sempre de quem eu sou.
Senhor tempo que não pára, obrigada!
Você zera os seus ponteiros e começo a zerar os meus. E esse cheiro de recomeço no ar. Cheiro de novidade, visão de ciclos fechados, sentimento de feridas que não latejam mais.
Cheiro de mar, cheiro de 31 de dezembro, 0:00, olhando pro mar.
Iemanjá soprando amor ...
Cheiro de amor.
Amor que transborda, que é tão necessário. Amor.
Eu quero um ano novo, em que eu possa ser amante de tudo o que eu faça, e de todos que estiverem cá camigo.

2 comentários:

Madalena disse...

Coisa linda, Lu! Que 2008 chegue trazendo tudibão que os deuses do Amor reservaram pra gente. E que a gente tenha olhos aguçados para ver, e boas mãos para cultivar!
Beijos mil e happy new year,
da Ju

KEL disse...

Fala aí, minha amiga
Com esse caminhão de coisa boa que só tu sabe escrever...
E esse ano vai ser tudo de bom pra nós...na Bahia e de roupa nova!!!!
Ai que tudo!!!
Tá, tá bom...não precisa brigar.